Low code e no code: quais as diferenças, benefícios e como implementar?

4 minutos para ler

A construção de soluções tecnológicas exige o uso de códigos conhecidos pelos profissionais de desenvolvimento. Low Code e No Code são ferramentas poderosas para o planejamento de softwares. Trata-se de duas abordagens distintas usadas para criar aplicativos. Low Code se refere ao uso reduzido dos códigos necessários à criação dessas inovações.

No Code é o desenvolvimento das tecnologias sem a aplicação de códigos, ou seja, é a abordagem que não requer codificação para criar um aplicativo ou software funcional. Neste artigo, vamos apresentar os benefícios das soluções Low Code e No Code e explicar como elas podem transformar os processos e os projetos de uma organização.

Deseja compreender melhor as diferenças entre essas soluções e por que elas estão ganhando destaque no mercado de TI? Continue a leitura!

O que é Low Code e No Code?

Low Code é a abordagem que permite aos desenvolvedores criar aplicativos de forma rápida e fácil. Eles utilizam ferramentas que reduzem a quantidade de códigos que seriam fundamentais para criar um software semelhante. Esse tipo de desenvolvimento é geralmente usado para criar aplicações que requerem manutenção mínima e podem ser implantadas rapidamente para os usuários.

No Code é a técnica de desenvolvimento de softwares que não exige codificação para a criação de aplicativos e softwares funcionais. A abordagem sem código é normalmente aplicada para desenvolver aplicações simples, cujas funcionalidades são básicas. As soluções criadas requerem manutenção mínima, podem ser rapidamente implantadas pelos usuários, suas atualizações e alterações são bastante ágeis.

Quais os benefícios de cada uma?

O desenvolvimento Low Code é apropriado para desenvolver novos aplicativos com uma interface de usuário que seja visualmente fácil de entender e usar. Ele também permite a criação de softwares adaptados às necessidades dos usuários, os quais podem ser rapidamente atualizados e alterados. Portanto, dispensa a escrita ou o uso de códigos complexos. Confira as suas vantagens:

  • aprendizado fácil;
  • criação de aplicativos rapidamente com esforço mínimo;
  • rapidez para fazer alterações nos aplicativos;
  • facilidade de integração aos sistemas existentes;
  • aplicativos criados ficam acessíveis em diversas plataformas;
  • automação dos processos de negócios e redução do trabalho manual;
  • desenvolvimento de tecnologias que podem interagir e controlar dispositivos físicos IoT;
  • aplicações que visualizam conjuntos de dados complexos;
  • possibilidade de criar soluções capazes de analisar dados.

No Code tem interface gráfica e intuitiva, fácil de usar e entender. Além disso, as tecnologias são altamente personalizáveis e poderão ser adaptadas para qualquer finalidade. Na maioria das vezes, é mais rápido e barato usar essa abordagem do que optar pelo desenvolvimento de software tradicional. Ela requer conhecimento técnico mínimo para criar os aplicativos. Observe os seus benefícios:

  • custo mais barato e acessível para empresas com orçamento limitado;
  • agilidade no desenvolvimento para colocar os aplicativos em funcionamento mais rapidamente;
  • acessibilidade para usuários que não têm conhecimentos técnicos;
  • automatização de tarefas;
  • integração das informações de múltiplas fontes;
  • oportunidade para utilizar ferramentas de análise;
  • visualização de painéis e geração de relatórios;
  • gerenciamento adequado do fluxo de trabalho.
  • criação de aplicativos de comércio eletrônico.

Como implementá-las?

Existem plataformas disponíveis para implementar as abordagens Low Code e No Code. Elas têm alguns recursos em comum, fornecem uma interface visual de arrastar e soltar, bem como facilitam a criação de softwares sem escrever códigos complexos. Certas opções contam com uma uma biblioteca de componentes pré-construídos que serve para os usuários acelerarem o desenvolvimento.

Compreende quais as diferenças, benefícios e como implementar Low Code e No Code? Para fazer a implementação, você precisa planejar os recursos e as funcionalidades antes de começar a construir o seu aplicativo. Procure entender o processo de construção, separe os dados essenciais, conheça as ferramentas oferecidas pela plataforma e use a sua criatividade.

Gostou do artigo? Então, curta nosso perfil no Facebook e acompanhe as nossas publicações!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Share This