CRM é um conceito que está revolucionando a maneira como as empresas lidam com clientes, da fase de atração ao pós-venda, gerando um relacionamento melhor no atendimento e uma melhor integração das informações sobre os consumidores.

Para isso, é necessário conhecer os tipos de CRM, quais são as suas diferenças e qual é o mais adequado para o seu negócio.

Quer aprender um pouco mais sobre as diferentes formas de implementar esse paradigma na sua empresa? Continue acompanhando o post.

O que é CRM?

É importante, inicialmente, frisar que CRM não é algo a ser definido e implementado em curto prazo. É necessária uma mudança total na cultura de uma organização, concentrando o foco nos clientes, em vez de somente nos produtos.

Afinal, é muito comum que as empresas se preocupem excessivamente com a qualidade dos produtos, principalmente em tempos em que o mercado está cada vez mais competitivo.

No entanto, os princípios do CRM orientam os gestores a entenderem que os clientes também são muito importantes, e um esforço maior deve ser feito para conseguir entendê-los e buscar maneiras mais efetivas de suprir suas necessidades.

Assim, é possível gerar valor para os clientes, a fim de criar fidelidade e lealdade. É possível, também, vender mais, por mais tempo e para mais pessoas.

Com o CRM, as empresas conseguem integrar melhor o cliente dentro dos processos, possibilitando que eles encontrem o que precisam. Além disso, com um sistema que fortalece a comunicação com o público, é fácil criar soluções personalizadas e ir além da venda.

Os sistemas de CRM são classificados com relação à forma de hospedagem, como online e on-premises. Confira abaixo as particularidades de cada uma.

Quais são os tipos de CRM?

Online

Ideal para pequenas e médias empresas, o CRM online é hospedado na nuvem e conta com todos os benefícios da cloud computing: menos custos de implantação, menos custos de manutenção, segurança, confiabilidade e possibilidade de recuperação de desastres.

É ideal para quem procura uma solução de baixo custo, afinal, o gestor paga pelo que usar e dispõe de um sistema altamente escalável e com bom suporte. No entanto, depende de uma boa conexão com internet, além de apresentar soluções genéricas que podem desagradar quem deseja a possibilidade de customização.

No sistema online, o tempo também deixa de ser um problema: a implementação é mais rápida, e as atualizações e manutenções são realizadas sem prejudicar o dia a dia operacional das empresas. Com a descentralização de informações, a segurança é maior e a possibilidade de integração com outros sistemas e setores da empresa também. 

On-premises

A solução on-premises é baseada em infraestrutura local, sendo mais cara, pois requer custos específicos de hardware, software e pessoal. É ideal para grandes corporações, pois permite que as empresas adequem às suas necessidades e se encarreguem totalmente da administração.

Se uma empresa já tem um setor de TI consolidado, é uma boa opção. A disponibilidade também é melhor, já que o sistema pode ser acessado independentemente da conexão com a internet.

A segurança pode ser garantida pelo próprio setor de TI, mas é mais suscetível a ataques do que o CRM na nuvem. O tempo de manutenção e de implementação também é maior.

Para médias e pequenas empresas, a solução online é a ideal por envolver menos custos e rapidez na implementação. No entanto, para ambos os tipos, é necessário um planejamento antes da implementação para que os principais problemas sejam atacados da melhor forma. 

Agora que você já sabe mais sobre os diferentes tipos de CRM, deixe um comentário dizendo o que acha desse conceito.